Como justificar um período de desemprego no seu currículo

Publicado pela Fed Finance em Conselhos de emprego
19/10/2021
Como justificar um período de desemprego no seu currículo
Um período de desemprego, seja por opção ou forçado, não é o fim do mundo. A recomendação é que pense, com antecedência, como deve explicar um período sem trabalho no currículo. E se preferir manter alguma informação em privado, faça-o. O segredo está em transformar a realidade numa resposta positiva, que seja vantajosa para si. Neste artigo fornecemos 5 dicas a ter em consideração e que o ajudarão nesta tarefa, além de que o irão tranquilizar.

Não minta. Seja honesto.
Os períodos de inatividade profissional acontecem. Se viveu uma situação de desemprego ou pausa profissional na sua carreira não tente esconder adicionando falsas realizações ou estendendo as datas de anteriores experiências profissionais. O recrutador pode perceber e piorar bastante a perceção que fica do candidato.
Contudo, se realmente utilizou o tempo livre para investir em formação, projetos de consultoria, se fez trabalho voluntário ou intercâmbio, trabalho comunitário, se cuidou dos filhos, entre outras tarefas, este é o momento de falar sobre isso.
Pode também dar mais detalhes sobre a sua procura de emprego e enumerar as vagas importantes a que se candidatou. Prove que permaneceu ativo quando não estava a trabalhar. Tenha em consideração que a exclusão do processo de recrutamento é quase sempre imediata após a descoberta de uma mentira. Seja sincero na razão. 

Não interprete esta questão como uma pergunta armadilha.
Os recrutadores estão genuinamente a tentar compreender o seu percurso profissional, esta pergunta não é feita para o colocar numa situação constrangedora. Ter uma atitude tranquila e confiante fará toda a diferença, por isso esteja preparado para falar sobre estes períodos sem trabalho de forma positiva. 

Fique em paz com as suas experiências.
Não importa qual seja o seu percurso, leve algum tempo a praticar a forma de o explicar. Os recrutadores gostam de candidatos que se sabem expressar claramente. Lembre-se também que mesmo que esteja desempregado há algum  tempo, isso não apaga todas as suas experiências anteriores. Ainda é um especialista na sua área e está apenas à procura de uma nova oportunidade. Tente voltar a concentrar-se nas suas competências principais e no valor que pode trazer para a futura empresa para a qual vai trabalhar. Não viva no passado. Fale de maneira empenhada com todos os seus contactos e amigos acerca do que está a fazer agora.

Concentre-se no que é positivo.
O tempo livre pode ser uma bênção! Concentre-se no que este período o poderá desbloquear e trazer como oportunidade. Talvez este seja o momento certo para fazer uma viragem de carreira, investir em novas aprendizagens, experiências e quem sabe numa nova área profissional.
Mostrar que usou este tempo sabiamente para investir em si e na sua formação não pode ser um ponto a desfavor, antes pelo contrário. Organize o seu discurso para contar a sua história de uma forma positiva, nunca se colocando num papel de “vítima”.
Os recrutadores querem é que demonstre o seu entusiasmo e prontidão para iniciar um novo trabalho. O segredo é estar sempre preparado para apresentar os seus motivos de forma concisa, envolvente e otimista. 

Pense em soft skills.
O tempo livre significa que tem mais tempo para si próprio, o que pode ser uma mais valia. Parou o ritmo frenético do trabalho, tem tempo para refletir, tomar novas opções, fazer escolhas.
É possível que tenha passado algumas semanas no estrangeiro ou aprendido uma nova língua, tenha organizado a sua vida, construído um novo currículo, tenha sido voluntário. Realce essas experiências, e use-as a seu favor. As competências transversais também são importantes para encontrar um emprego.
Experiências novas e que saiam da zona de conforto podem fazê-lo crescer como pessoa, não desperdice esta oportunidade. Acredite que é possível obter uma experiência sólida e competências transversais muito importantes em ambientes não tradicionais. 

Em resumo…

  • Na maioria dos casos, se a sua experiência de formação e profissional forem fortes o suficiente, um potencial empregador não se preocupará muito com pequenas pausas profissionais no seu currículo.
  • Mas faz toda a diferença estar preparado para a pergunta sobre o que fez no período de ausência de trabalho.
  • Numa situação de desemprego apostar na formação é uma das melhores e mais eficazes formas de melhorar as competências e valorizar o currículo.
  • É muito vantajoso concentrar-se em encontrar os responsáveis pelo recrutamento e em fortalecer a sua presença online.
  • Outro fator muito importante é construir uma rede sólida de networking, pois irá facilitar o contacto com o mercado, assim como fortalecer a sua presença online e em redes sociais como o Linkedin.

Estenda a sua pesquisa de emprego ao nosso site. Conheça o Fed Finance onde terá acesso a diversas oportunidades profissionais para várias regiões e candidate-se.
Siga a página de Linkedin da Fed Finance.


Comentários
Sem comentários ainda, seja o primeiro a reagir!
Comente